As palavras “conteúdo” e “marketing” demandam um debate centrado na diferença entre publicação e venda.

Por sua própria natureza, marketing é uma função da área de vendas.

E como tal, as atividades relacionadas à comunicação, em qualquer natureza – busca, email, publicidade, criação de conteúdo, social media, eventos, etc. – todas representam atividades para engajar pessoas em um processo de vendas ou aproximar as pessoas da marca, que por conseqüência trará vendas no futuro.

É natural que algumas pessoas vejam o marketing aplicado ao conteúdo de uma forma diferente, especialmente aqueles que são jornalistas. São especialistas em conteúdo, e por isso entregam conteúdo de qualidade e se preocupam com o teor informacional daquele conteúdo.

Os marketeiros mais tradicionais também não gostam da aplicação de uma tática tão simples como uma estratégia de marketing. Alguns criticam bandas por produzirem músicas que ficaram no topo das mais tocadas das rádios do mundo inteiro com apenas 3 acordes. Por isso eu também não menosprezo quem alcança sucesso na produção de conteúdo voltado para fazer marketing de algum produto, serviço, marca ou pessoa.

Conteúdo de Qualidade é Simples

Todos dizem que um grande vendedor não vende.

Os melhores vendedores simplesmente fornecem informações úteis, valores e experiências marcantes, fazendo da decisão uma opção simples e óbvia. Um bom vendedor te quer feliz, sabendo que mesmo se ele não vender, você se lembrará da experiência como algo positivo, e estará mais disposto a trabalhar com este vendedor ou empresa em uma necessidade futura.

Similarmente, conteúdo de qualidade informa e diverte sobre um determinado assunto.

Conteúdo de qualidade informa e entretém, mas também constrói valor. Ele faz o leitor se sentir educado sobre sua decisão, e entendendo o que aquela marca representa. O que deixa as pessoas por aí muito nervosas é de fato conteúdo sem pé nem cabeça.

É claro que marketing de conteúdo tenta vender de diversas formas, mas sem forçar a barra. Pessoalmente, acho que a abordagem pesada e forçada não vende.

Marketing de Conteúdo é o que hoje dá um novo nome para o que já conhecíamos como Relações Públicas (mais utilizado nas redes sociais e marketing de busca), Eventos Sociais e outros. É um papo muito antigo: vender ou não vender no meu discurso?

E vocês? O que acham?

Post original: http://geofflivingston.com/2012/12/04/content-marketing-debate/

About Diego Isaac

Profissional de Marketing e especialista em Marketing Digital, Social Media Marketing, Otimização de Conversão (CRO), Search Engine Optimization (SEO), Search Engine Marketing (SEM), Google Adwords (Links Patrocinados) e Facebook Ads. Gerente de Projetos certificado e com experiência em projetos de alta complexidade. Palestrante, pesquisador e entusiasta nos temas relacionados à Inbound Marketing e Comunicação.