Você Merece Saber a Verdade sobre o Marketing

Tempo de leitura: 14 minutos

Trago comigo uma frase de significado profundo, sempre atual e sempre justa com quem está fazendo a sua parte: “torne-se aquilo que você acha que falta no mundo”. É algo por aí, não sei ao certo quão melosa você acha essa citação, mas para mim tem um grande significado. Vou explicar.

Em 2009 eu decidi aprender mais sobre Marketing e como muitos que iniciam nesse assunto, eu achei que o melhor caminho seria o digital, por ser mais barato, mais rápido de aprender e achei até que aproveitaria meu background de tecnologia da informação. Decidido, comecei a pesquisar livros, cursos online, cursos e eventos presenciais. Percebi rapidamente que este era o tópico do momento. Não estávamos na era dos magos do marketing digital que temos hoje, mas era um momento muito bacana. Tinha muita gente querendo aprender, mas muita mesmo.

Meu encontro com o Marketing Digital através do método 8Ps

Lendo sobre Marketing, o mais comum é encontrar os 4Ps, e a partir desse gatilho, encontrei no digital o 8Ps, do Conrado Adolpho. É claro que não é algo tão encaixado quanto os 4Ps, e a própria metodologia tem bastante marketing, mas sem dúvidas, na época foi o melhor guia sobre o que fazer no ambiente digital que eu poderia encontrar. Quem fazia o curso ia para um grupo fechado exclusivo no Facebook e nesse grupo fiz grandes amigos, que tenho até hoje. Eu decidi entregar tudo naquele grupo e assim, tudo que eu pesquisava, tudo que minimamente eu conseguia aplicar, eu dividia esses resultados e ajudava de verdade quem estava iniciando e precisando de uma mãozinha. É como dizem por aí, quem ensina, aprende duas vezes.

Logo o 8Ps já não era suficiente e eu precisava de mais. Me envolvi ainda com um outro produto do próprio Conrado Adolpho que foi o NINJA PPC, um curso online de Google Adwords. Eu me apaixonei pela área de mídia online, e decidi aprender isso com mais força. Tentei outras fontes de conhecimento, outros eventos, outras pessoas, outros profissionais da área. Eu até colaria aqui o print de cada janela e de cada vez que tentei falar com alguém, buscar uma referência, cavar um café, um encontro, um papo para tentar decidir melhor para onde ir, mas não acho que é o caso. Enfim, foram muitos nãos, muitas respostas vagas como “a gente vê aí qualquer dia” ou “liga na segunda” e a pessoa desaparecia como mágica. Eu até encontrava essas pessoas em eventos, mas não conseguia a atenção delas.

Novas fontes de conhecimento sobre Marketing

Então pensei comigo mesmo que essas pessoas tinham outras fontes, certamente diferentes das que eu havia encontrado. E quais eram essas fontes? Quem nesse momento estava falando a verdade, ou até distribuindo conhecimento sem guardar nada para um curso especial, para um super lançamento, para uma sacada ou qualquer outra coisa assim? Foi um momento de ficar atento, tentar buscar fontes fora do país e profissionais que estavam tendo resultados interessantes, fazendo a coisa certa e dividindo conhecimento enquanto trilhavam o caminho do sucesso no Marketing Digital.

Os 3 anos aprendendo Marketing de Verdade

A partir desse ponto, as lições começaram a aparecer:

  1. Quem é bom de verdade, não tem medo de compartilhar. Uma fonte verdadeira nunca seca.
  2. Quem vive de treinamentos dificilmente vai dividir tudo que sabe. Primeiro porque ele só sabe para ele (para os treinamentos dele) e segundo que ele não pode ficar sem aquelas informações que constituem a única fonte de renda dele.
  3. No Brasil as pessoas tem medo de concorrência ou no Brasil as pessoas enxergam a concorrência de forma diferente. Em mercados desenvolvidos, você vai encontrar eventos onde todos os concorrentes estão juntos compartilhando suas melhores práticas, falando sobre seus problemas e buscando soluções juntos. É assim que o todo cresce, os clientes em geral são melhor atendidos. Esse é o entendimento conjunto de que sempre tem cliente para um mercado desenvolvido e não que uma empresa sozinha conseguirá atender um mercado inteiro.
  4. Se as pessoas estão te evitando é porque elas tem medo de você ou são bobas mesmo. Quando descobrir a opção certa? Nunca consegui.
  5. Os melhores treinamentos são escassos, mas não te induzem a fazê-lo. Esses cursos naturalmente fazem sentido na sua trajetória. Portanto, não se preocupe com “só hoje” ou com assistir um vídeo de 3h para depois aparecer um botão de comprar. As vezes sinto que gastei metade da minha vida vendo vídeos de vendas.
  6. Educação tem relação maior com satisfação pessoal do que com o lucro. Você sente nos olhos do professor que ele está compartilhando com generosidade quando o negócio é de verdade.
  7. Faça um curso que tenha uma proporção de 1:2 entre a teoria e a prática. Teoria é muito importante, mas não tem nada como colocar a mão na massa. O melhor curso é de fato aquele que você consegue aplicar no dia seguinte. Como aprendizado extra, os melhores cursos para mim foram aqueles que consegui gastar mais de 10x o tempo que estava no curso de forma prática.
  8. Um livro é sempre um excelente treinamento também. Na verdade, com o tempo você descobre que alguns livros nunca podem ser ensinados através de um treinamento, tamanha a experiência pessoal com aquilo que você lê.

Já sobre Marketing e Marketing Digital e principalmente as “modinhas” que aparecem e vão embora:

  1. Nada como o bom e velho Marketing. Marketing é Marketing, não existe Marketing Digital. Existe um canal digital, onde por acaso todos estamos utilizando para comprar hoje.
  2. Os conceitos que funcionaram no passado se repetem de maneira cíclica, com uma nova organização e as vezes com um novo jeito de fazer.
  3. O Marketing tem uma relação muito forte com a maneira como as pessoas se comportam. Portanto, a grande evidência dos canais digitais são uma consequência de como as pessoas se sentem bem para se relacionarem e consumir hoje e não uma reinvenção do Marketing tradicional.
  4. Não existe guru de Marketing afastado de uma grande experiência prática com um determinado assunto ou uma grande pesquisa relacionada ao assunto. Conhecimento pode ser empírico ou fruto de metodologia mas nunca fruto de achismo, sem números, sem evidências ou provas. Aqui, cuidado com as famosas provas sociais manipuladas.
  5. Marketing é simples, direto e deve sempre ser genuíno e verdadeiro. Em outras palavras, não existem voltas, meias verdades, histórias, técnicas, gatilhos, sacadas que substituam todas as verdadeiras razões pelas quais uma empresa existe. As empresas existem para resolver problemas, portanto um produto existe para ajudar as pessoas em suas jornadas.
  6. Marketing é sobre cuidado e se importar. Seu menor cliente merece seu cuidado, sua atenção e que você se importe com ele de maneira sincera. Ser autêntico também é dizer para o cliente que não cabe mais na sua estrutura que você não consegue mais atendê-lo com a mesma qualidade.
  7. Marketing está fortemente relacionado a confiança. Não pise na bola.
  8. Marketing é sobre falar a verdade e poucas pessoas estão prontas para ouvir a verdade, principalmente os empresários.

Onde estavam os cursos sobre Marketing de Verdade?

Encontrei em cursos fora do país uma segurança que não havia encontrado ainda por aqui. Lá fora, quem estava ensinando também estava mostrando cada segredo, cada detalhe e ainda, estavam pegando meus casos, clientes, problemas e me instruindo sobre isso. Fantástico! Conheci caras fantásticos como Rand Fishkin, Jeff Walker, Avinash Kaushik, Brad Geddes dentre outros vários que mostravam suas contas, mostravam de verdade o que estavam fazendo, abriam números, falavam das suas dificuldades de verdade e não só do orçamento das suas campanhas monstruosas. Tive acesso ao Analytics do governo da Bélgica, conta de Adwords da Amazon, Sony, Panasonic, Walmart, P&G e outras contas de Adwords e Facebook Ads milionárias (vários dígitos). Mas não pelo valor delas, e sim pela verdade que ouvia em cada momento com esses caras. As dificuldades eram enormes em cada novo produto, em cada novo mercado e nenhuma dessas contas guardava um segredinho, um atalho, um gatilho mental nem nada disso. Estamos falando de um marketing que vai para a prateleira do supermercado, de produtos que estão 100% do tempo disponíveis e não sofrem com escassez (talvez a escassez de clientes apenas). A dificuldade nunca, em nenhuma dessas empresas era “como encontrar um truque mágico para fazer milhões de dólares e ir embora do país trabalhar da praia” e sempre “como construir um produto que faz sentido?” ou “como ser interessante de verdade em um mercado com 100 outros produtos competindo pela mesma atenção?”. O tal Marketing de verdade que estava meio sumido, eu o havia encontrado.

É claro que depois disso achei uma galera muito boa por aqui no Brasil, mas eu precisei me alinhar com o que queria. O Rafael Rez, Rodrigo Nascimento, Ricardo Cappra, Felipe Senise e Daniel De Tomazo dentre outros caras legais, cheios de conteúdo e sempre abertos para um papo ou com iniciativas muito alinhadas ao que eu entendo ser o melhor para o Marketing. Boas referências.

E virei Professor de Marketing

Depois de bater tanto a cabeça, entendi que eu tenho bagagem para contar a minha história e começar a ensinar o que aprendi. Hoje, em parceria com a Brasilia Marketing School tenho 3 cursos dos quais me orgulho muito deles. Meus cursos são Inbound Marketing, Facebook Ads e Google Adwords. Já são 2 anos de estrada como professor e já ensinei mais de 300 pessoas algumas das coisas que aprendi.

A verdadeira missão estava mais clara

Sobre me tornar o que falta no mundo, vamos continuar daqui o que comecei no primeiro parágrafo. Qualquer pessoa que eu procure hoje para conversar, trocar idéia, fazer perguntas diretas sobre negócios, esclarecer minhas tantas dúvidas, vai me dizer “vai nesse link aqui e baixa meu ebook, entra na minha lista de e-mails que quando eu abrir meu carrinho você poderá comprar meu infoproduto”. O negócio tá tão louco com essa onda de infoprodutores que tenho medo de perguntar as coisas já em locais comuns como na cafeteria ou posto de gasolina. A qualquer momento fico com receio de receber um “Sr, esse café ele tem notas amargas, entretanto, o Sr pode baixar nosso ebook e se informar melhor, passar bem” ou no posto de gasolina “Sr, essa gasolina é muito especial, mas ela só fica a venda das 9h as 11h, depois disso o posto fecha e só atende o Sr amanhã” com essa de ter carrinho aberto, carrinho fechado, carrinho que aparece, carrinho que desaparece. Eu nunca vi o Supermercado Pão de Açúcar fechar os caixas e deixar as pessoas presas lá dentro olhando as prateleiras sem poder pagar por aquilo e ir embora consumir o produto, nunca vi uma imobiliária dizer “aqui só alugamos imóveis as quartas-feiras, hoje não”. Apesar de entender a importância da escassez e do efeito que isso causa, o empresário que está no campo de batalha precisa de ajuda em diversas outras frentes a meu ver.

Confesso que isso me irrita um pouco. A quantidade de vídeos bobos, sem argumentação, sem qualquer sentido, seguindo uma cartilha de alguém que “descobriu” a fórmula do sucesso por aí, que já assisti foi altíssima. Não sou contra uma boa carta de vendas horizontal (método Product Launch Formula, do Jeff Walker), boas técnicas de vendas e gatilhos, bons textos, boa argumentação. De forma alguma. Eu sei que isso faz diferença e ajuda muito a vender. Não entra na minha cabeça a ameaça, o “corre senão você fica para trás e destrói todos os seus sonhos” ou “faz isso pela sua família, eles estão contando com você” e o curso é sobre como produzir cadeiras a partir de caixas de uva. Isso não existe. Eu já assisti vídeos de métodos fitness onde você consegue malhar sozinho com a ajuda de uma toalha apenas (pensem nos atletas fisiculturistas cheios de hormônios fazendo exercícios com uma toalha), já vi vídeo de 1 hora sobre um método que acaba com o diabetes com um suco (como não comprei, nem imagino como eles fazem isso), já vi vídeos sobre métodos de sedução infalíveis (esse por pura curiosidade, acredite), já vi pessoas que prometiam te ensinar a ser engraçado, a investir melhor seu dinheiro e por aí vai. Sim, eu também fui atrás de um jeito de me sentir irritado com isso hoje. E também sei que tem gente fazendo certo, e certamente a bronca é com quem faz errado.

Depois que investi tanto tempo observando isso, entendi o que falta. Eu sinto que falta um papo direto sobre as coisas, ou seja, o bom e velho Marketing. Falo sobre o Marketing sem atalhos, sem conversinhas, sem qualquer dica fulminante para ficar rico, sem citar a quantidade de dígitos que você vai vender se fizer isso ou aquilo. Aquele Marketing sincero, transformador, que envolve a empresa inteira e dá para ela um significado maior do que “ser lucrativa”. Minha motivação é tão sincera quanto esse post inteiro, eu acho que o mundo precisa de mais Marketing de Verdade. Mas principalmente falta para as pessoas comuns um meio de falar com alguém de maneira fácil, próxima, descomplicada e direta. Resolvi estar sempre acessível. Quem foi meu aluno ou colaborador na minha agência sabe que eu respondo a todos, eu marco até reuniões para ajudar, resolver tudo e dar uma caminho. E não cobro nada por isso simplesmente porque é minha missão e estou comprometido com ela. É isso que eu acho que falta no mundo e é isso que eu resolvi ser.

Finalmente =)

Esse post não conta com técnicas matadoras de SEO, não tem nada para te oferecer se você está buscando aquele atalho que mencionei acima. Dificilmente esse post será encontrado por aí assim, com a mesma facilidade (e o investimento em mídia) que coisas como as citadas acima chegam até você. Mas se você se identificou com isso, deixa um comentário para mim, um sinal de fumaça, me adiciona no Facebook ou no Instagram e vamos bater um papo para fazer esse Marketing de Verdade aparecer para o mercado? Eu cheguei no meu limite sobre essas coisas que não funcionam, sobre esse mercado que parece unido mas que tem sempre uma informação na manga para te segurar e não te dar a direção que você precisa para fazer sua empresa acontecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *